Como ficam os órgãos na gravidez

A gravidez é um período de transformação profunda no corpo da mulher, não apenas externamente, mas também internamente. À medida que o feto se desenvolve e cresce, os órgãos da mãe passam por uma série de adaptações e mudanças para acomodar e sustentar a vida que está se formando. Neste guia completo, vamos explorar como os principais órgãos do corpo materno são afetados durante a gravidez. Entender essas mudanças é fundamental para a saúde da mãe e do bebê, bem como para uma gravidez tranquila e saudável.

O Útero e o Sistema Reprodutivo

O útero é o órgão central da gravidez, onde o feto se desenvolve e cresce. À medida que a gravidez avança, o útero passa por uma série de transformações notáveis:

  1. Implantação: Após a fertilização, o óvulo fertilizado se implanta na parede do útero, onde começa a crescer e se desenvolver.
  2. Hipertrofia: Durante a gravidez, o útero passa por um processo de hipertrofia, o que significa que suas células aumentam de tamanho, e o órgão em si se expande.
  3. Hiperplasia: Além da hipertrofia, o útero também passa por hiperplasia, que é o aumento do número de células. Isso é essencial para acomodar o crescimento do bebê.
  4. Deslocamento de Órgãos: À medida que o útero cresce, ele empurra os órgãos vizinhos, como a bexiga e o intestino, para acomodar seu aumento de tamanho.
  5. Contrações: Durante a gravidez, o útero experimenta contrações irregulares, conhecidas como contrações de Braxton-Hicks, que preparam o órgão para o parto.
  6. Modificações no Colo do Útero: O colo do útero também passa por mudanças, ficando mais macio e dilatando-se à medida que o parto se aproxima.

O Sistema Cardiovascular

O sistema cardiovascular é responsável por fornecer sangue, oxigênio e nutrientes tanto para a mãe quanto para o feto. Durante a gravidez, o sistema cardiovascular passa por várias adaptações notáveis:

  1. Aumento do Volume Sanguíneo: O volume sanguíneo da mãe aumenta consideravelmente durante a gravidez, às vezes até 50% a mais do que o normal. Isso é essencial para suprir o feto em crescimento.
  2. Aumento da Frequência Cardíaca: O coração da mãe bate mais rápido para garantir que o sangue seja bombeado para o útero e a placenta, onde ocorre a troca de nutrientes e oxigênio com o feto.
  3. Pressão Sanguínea: A pressão sanguínea da mãe tende a diminuir durante o primeiro e o segundo trimestres, mas pode retornar aos níveis normais no terceiro trimestre.
  4. Alterações nas Veias e Artérias: As veias, especialmente as das pernas, podem sofrer maior pressão, levando à retenção de líquidos e, em alguns casos, a varizes. As artérias, por outro lado, dilatam-se para acomodar o aumento do fluxo sanguíneo.

Os Pulmões

Os pulmões são essenciais para o fornecimento de oxigênio ao corpo, e durante a gravidez, eles também passam por algumas mudanças notáveis:

  1. Aumento da Ventilação Pulmonar: A partir do segundo trimestre, a mãe começa a respirar com maior frequência e profundidade para compensar o aumento das necessidades de oxigênio do feto.
  2. Pressão no Diafragma: À medida que o útero cresce, ele pressiona o diafragma, o que pode fazer com que a mãe se sinta sem ar com mais facilidade.
  3. Mudanças na Troca Gasosa: A troca de oxigênio e dióxido de carbono nos pulmões se torna mais eficiente, permitindo que a mãe forneça oxigênio extra ao feto.

O Sistema Urinário

O sistema urinário desempenha um papel vital na eliminação de resíduos do corpo da mãe e é afetado durante a gravidez de várias maneiras:

  1. Aumento na Capacidade da Bexiga: A bexiga da mãe se expande para acomodar o útero em crescimento, o que pode resultar em micções mais frequentes.
  2. Redução da Eficiência na Eliminação de Resíduos: A pressão do útero pode comprimir os ureteres, os tubos que transportam a urina dos rins para a bexiga, o que pode tornar o esvaziamento da bexiga menos eficiente.
  3. Retenção de Líquidos: Algumas mulheres experimentam retenção de líquidos durante a gravidez, o que pode levar a inchaço e desconforto.

O Sistema Digestivo

O sistema digestivo é responsável por processar alimentos e absorver nutrientes, e também passa por algumas adaptações durante a gravidez:

  1. Desaceleração da Digestão: O aumento nos níveis de progesterona pode fazer com que a digestão seja mais lenta, o que pode levar a azia, constipação e desconforto abdominal.
  2. Aumento do Apetite: Algumas mulheres experimentam um aumento no apetite, enquanto outras podem ter dificuldade em manter a ingestão de alimentos devido ao espaço ocupado pelo útero.
  3. Mudanças nos Dentes e Gengivas: As mudanças hormonais podem afetar a saúde bucal, levando a problemas como gengivite e cáries.

O Fígado e o Sistema Hepático

O fígado é responsável por processar toxinas e substâncias químicas no corpo, e durante a gravidez, ele também enfrenta algumas mudanças notáveis:

  1. Aumento da Produção de Hormônios: O fígado produz mais hormônios, incluindo estrogênio e progesterona, que são essenciais para a manutenção da gravidez.
  2. Mudanças no Metabolismo: O metabolismo de certos medicamentos e substâncias pode ser alterado durante a gravidez, o que pode afetar a forma como o corpo processa essas substâncias.

O Sistema Muscular e Esquelético

O sistema muscular e esquelético também passa por adaptações durante a gravidez:

  1. Relaxamento das Articulações: Os hormônios relaxina e progesterona afetam as articulações, tornando-as mais flexíveis, o que ajuda na acomodação do crescimento do bebê e no parto.
  2. Mudanças na Postura: Devido ao aumento do peso do útero, a mãe pode desenvolver uma lordose lombar, uma curvatura acentuada da coluna na região lombar.
  3. Fraqueza Muscular: Algumas mulheres podem sentir fraqueza muscular devido às mudanças hormonais e ao aumento da carga de trabalho nos músculos durante a gravidez.

O Sistema Imunológico

O sistema imunológico da mãe também passa por algumas adaptações durante a gravidez:

  1. Supressão Leve: Para evitar que o sistema imunológico rejeite o feto, ele é suprimido de forma leve. Isso torna a mãe mais suscetível a infecções virais e bacterianas.
  2. Resposta Inflamatória Controlada: O corpo mantém uma resposta inflamatória controlada no útero para combater possíveis infecções sem prejudicar o feto.

A Pele e o Cabelo

Durante a gravidez, a pele e o cabelo da mãe também passam por mudanças notáveis:

  1. Hiperpigmentação: Algumas mulheres podem desenvolver áreas de hiperpigmentação, como o melasma, devido às mudanças hormonais.
  2. Alterações na Textura da Pele: A pele pode se tornar mais sensível, seca ou oleosa, dependendo das flutuações hormonais.
  3. Crescimento Capilar Aumentado: Algumas mulheres experimentam crescimento capilar aumentado durante a gravidez, enquanto outras podem notar uma diminuição na queda de cabelo.

Considerações Finais e Cuidados

É essencial que as mulheres grávidas recebam atendimento médico adequado e realizem exames pré-natais regulares para monitorar a saúde do feto e da mãe. Além disso, as mudanças no corpo durante a gravidez podem variar de pessoa para pessoa, e é importante que as mulheres estejam cientes das adaptações específicas que estão ocorrendo em seus corpos.

Em resumo, a gravidez é um período de transformação profunda no corpo da mulher, que afeta os órgãos e sistemas de maneiras notáveis. Com um acompanhamento médico adequado e o conhecimento das mudanças que ocorrem, as mulheres podem passar por esse período com saúde e segurança, preparando-se para a emocionante jornada da maternidade.

Última atualização em

Rolar para cima