Sangramento na gravidez: causas, sintomas e o que fazer

sangramento na gravidez

A gravidez é uma jornada emocionante, mas também pode ser repleta de dúvidas e preocupações, especialmente quando se trata de sintomas inesperados, como o sangramento. O sangramento na gravidez é uma situação que requer atenção imediata, uma vez que pode ser um sinal de várias condições, desde algo inofensivo até algo mais sério. Neste guia completo, discutiremos as causas do sangramento durante a gravidez, os sintomas associados e o que fazer em caso de sangramento.

O que é o sangramento na gravidez?

O sangramento na gravidez refere-se ao sangue que é liberado da vagina durante o período de gestação. Esse sangramento pode variar em termos de quantidade, duração e cor, mas não deve ser ignorado. Embora o sangramento nem sempre indique um problema, pode ser um sinal de uma complicação na gravidez que requer atenção médica.

Causas do sangramento na gravidez

O sangramento durante a gravidez pode ter várias causas, algumas das quais são relativamente inofensivas, enquanto outras são mais preocupantes. Vamos explorar as causas comuns de sangramento na gravidez:

  1. Implantação: O sangramento de implantação é um dos tipos mais comuns de sangramento no início da gravidez. Isso ocorre quando o óvulo fertilizado se implanta no revestimento uterino, geralmente cerca de 6 a 12 dias após a concepção. O sangramento é geralmente leve e pode ser acompanhado de cólicas leves.
  2. Sangramento de escape: Algumas mulheres podem experimentar sangramento leve durante o primeiro trimestre, que não está relacionado a complicações. Isso pode ser devido a mudanças hormonais ou ao aumento do fluxo sanguíneo para o colo do útero durante a gravidez.
  3. Infecções: Infecções do trato urinário ou infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) podem causar sangramento na gravidez. O tratamento rápido é fundamental para prevenir complicações.
  4. Cervicite: A inflamação do colo do útero (cervicite) pode resultar em sangramento. Isso pode ser causado por infecções ou irritações locais.
  5. Placenta prévia: A placenta prévia ocorre quando a placenta cobre parcial ou totalmente o colo do útero. Isso pode causar sangramento, principalmente no segundo e terceiro trimestres.
  6. Descolamento prematuro da placenta: O descolamento prematuro da placenta ocorre quando a placenta se separa do útero antes do parto. Isso pode causar sangramento e é uma emergência médica.
  7. Aborto espontâneo: Um aborto espontâneo é a perda do feto antes da 20ª semana de gravidez. O sangramento, muitas vezes acompanhado de cólicas, é um sinal comum de aborto espontâneo.
  8. Ectópica: Gravidez ectópica é quando o óvulo fertilizado se implanta fora do útero, geralmente nas trompas de falópio. Isso pode causar sangramento e é uma emergência médica.
  9. Gravidez molar: Uma gravidez molar é uma condição rara em que o tecido que normalmente se desenvolve em um feto se torna anormal. Isso pode resultar em sangramento e é considerado uma complicação grave.
  10. Trabalho de parto prematuro: O sangramento pode ser um sinal de início do trabalho de parto prematuro, que ocorre antes das 37 semanas de gravidez.
  11. Trauma: Lesões ou traumas na região abdominal podem causar sangramento durante a gravidez.
  12. Miomas uterinos: Miomas são crescimentos não cancerosos no útero que podem causar sangramento durante a gravidez.
  13. Outras causas: Além disso, algumas mulheres podem ter sangramento não relacionado à gravidez, como sangramento de hemorroidas, sangramento gastrointestinal ou menstruação irregular.

Sintomas do sangramento na gravidez

Além do próprio sangramento, o sangramento na gravidez pode estar associado a uma variedade de sintomas adicionais, dependendo da causa subjacente. Alguns dos sintomas comuns incluem:

  1. Cólicas: As cólicas abdominais são frequentemente relatadas com sangramento na gravidez, especialmente quando o sangramento é causado por complicações como aborto espontâneo ou gravidez ectópica.
  2. Dor: A dor pode variar de leve a intensa, dependendo da causa do sangramento. Pode ser uma dor pélvica ou abdominal.
  3. Tontura: A perda de sangue pode causar tontura ou desmaios.
  4. Náuseas: Algumas mulheres podem experimentar náuseas quando sangram durante a gravidez.
  5. Cor do sangramento: A cor do sangramento pode variar de vermelho brilhante a marrom, dependendo da causa.
  6. Quantidade de sangramento: A quantidade de sangramento pode variar de um leve corrimento a um sangramento mais intenso.

Quando devo procurar ajuda médica?

Se você estiver grávida e tiver sangramento, é essencial procurar ajuda médica imediatamente. Alguns casos de sangramento na gravidez requerem atenção médica urgente. A seguir, estão algumas situações em que você deve entrar em contato com um profissional de saúde o mais rápido possível:

  1. Sangramento intenso: Se você está perdendo uma quantidade significativa de sangue, isso pode ser um sinal de uma complicação séria.
  2. Dor intensa: Se você está sentindo dor abdominal intensa, cólicas fortes ou desconforto grave, é importante procurar ajuda médica.
  3. Tontura ou desmaio: Se o sangramento está causando tontura ou desmaio, isso indica uma perda significativa de sangue.
  4. Histórico de complicações: Se você teve complicações em gravidezes anteriores, é importante relatar qualquer sangramento ao seu médico.
  5. Segundo e terceiro trimestres: O sangramento nos segundo e terceiro trimestres é mais preocupante e requer atenção médica imediata.
Sangramento na gravidez

Diagnóstico e avaliação

Quando você procura ajuda médica devido a sangramento na gravidez, seu médico realizará uma série de exames e avaliações para determinar a causa do sangramento e o tratamento adequado. Alguns dos procedimentos diagnósticos comuns incluem:

  1. Histórico e Exame Físico: Seu médico fará perguntas sobre a natureza do sangramento, seus sintomas e histórico de gravidez. Um exame físico também é realizado.
  2. Exames de Sangue: Exames de sangue podem ajudar a medir os níveis de hCG, o hormônio da gravidez, e avaliar a contagem de células sanguíneas para determinar a gravidade da perda de sangue.
  3. Ultrassonografia: A ultrassonografia é uma ferramenta importante para avaliar a saúde do feto e determinar a localização da placenta, entre outros fatores.
  4. Exames de Urina: Os exames de urina podem ser realizados para verificar infecções e outras condições que possam contribuir para o sangramento.
  5. Exames de Imagem: Dependendo do caso, exames de imagem mais avançados, como a ressonância magnética, podem ser necessários para avaliar a placenta e o útero.

Tratamento para sangramento na gravidez

O tratamento para sangramento na gravidez varia dependendo da causa subjacente. Abaixo, estão algumas das opções de tratamento mais comuns:

  1. Observação: Se o sangramento for leve e não houver nenhuma complicação evidente, o médico pode recomendar a observação cuidadosa em casa. É essencial descansar, evitar atividades extenuantes e relatar qualquer mudança nos sintomas.
  2. Repouso: Em alguns casos, o repouso absoluto pode ser recomendado para reduzir o risco de complicações.
  3. Medicação: Se o sangramento for causado por uma infecção ou inflamação, o médico pode prescrever medicações para tratar a condição subjacente.
  4. Cirurgia: Em casos de complicações graves, como descolamento prematuro da placenta ou gravidez ectópica, pode ser necessária cirurgia para resolver o problema.
  5. Cuidados Paliativos: Infelizmente, em casos de aborto espontâneo inevitável, o médico pode recomendar cuidados paliativos para aliviar o desconforto e apoiar a mulher durante esse período difícil.
  6. Acompanhamento: Após o tratamento, é essencial continuar com o acompanhamento médico regular para garantir que a gravidez esteja progredindo de forma saudável.

Prevenção do sangramento na gravidez

Embora nem todo sangramento na gravidez possa ser prevenido, algumas medidas podem ajudar a reduzir o risco de complicações:

  1. Cuidados Pré-natais Adequados: Realizar consultas de pré-natal regulares é fundamental para identificar e gerenciar complicações precocemente.
  2. Evitar Lesões Abdominais: Evitar traumas ou lesões abdominais durante a gravidez é importante para evitar sangramento.
  3. Tratar Infecções: Tratar infecções do trato urinário e ISTs de forma eficaz ajuda a prevenir complicações que podem levar ao sangramento.
  4. Evitar Tabaco e Álcool: Parar de fumar e evitar o consumo de álcool durante a gravidez pode ajudar a reduzir o risco de sangramento e outras complicações.
  5. Seguir as Recomendações Médicas: Seguir as orientações do seu médico, incluindo repouso, medicação e repouso na cama, é essencial para manter uma gravidez saudável.

Palavras finais

O sangramento na gravidez é uma preocupação comum para muitas mulheres grávidas, mas é importante lembrar que nem todo sangramento é sinal de uma complicação grave. No entanto, qualquer sangramento na gravidez deve ser avaliado por um profissional de saúde para determinar a causa e o tratamento adequado.

A comunicação aberta com seu médico e o cumprimento das orientações médicas são cruciais para garantir uma gravidez saudável. Se você estiver enfrentando sangramento na gravidez, não hesite em procurar ajuda médica imediatamente para garantir a segurança de você e de seu bebê. Com o cuidado adequado, muitas mulheres podem superar o sangramento na gravidez e continuar sua jornada rumo a uma gravidez bem-sucedida e ao nascimento de um bebê saudável.

Última atualização em

Rolar para o topo